Programa Renovabio vai alavancar o setor sucroalcooleiro no Maranhão, afirma Simplício Araújo

0

O secretário de Indústria, Comércio e Energia (Seinc) e presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Desenvolvimento Econômico (Consedic), Simplício Araújo, comemorou a aprovação, pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), as diretrizes do Programa Renovabio, que estabelece uma política estratégica para o setor de biocombustíveis.

 

O programa tem como finalidade expandir a produção de biocombustíveis, com o reconhecimento da sua contribuição para a economia, o meio ambiente, o desenvolvimento social e para a matriz energética brasileira.

 

As ações do RenovaBio deverão buscar competitividade na produção, comercialização e no uso de biocombustíveis, com estímulo à concorrência entre os próprios biocombustíveis e em relação aos combustíveis de origem fóssil, com ênfase na segurança do abastecimento, no combate a práticas anticompetitivas e na proteção dos interesses dos consumidores quanto a preço, qualidade e oferta.

 

“A expectativa agora é que o programa seja apreciado e aprovado pelo Congresso o mais rápido possível. É um programa que vai dar um novo horizonte ao setor do biocombustível. No Maranhão temos indústrias fortes que, com certeza, serão beneficiadas pelo programa, recebendo garantias e, com isso, aumentando a produção, gerando renda e emprego para a população, ” destacou o secretário.

 

Simplício Araújo afirma que o RenovaBio vai garantir que todo o etanol produzido por uma usina certificada seja vendido. “A ideia é que o país consuma cerca de 50 bilhões de litros de etanol em 2030 – e produza 54 bilhões de litros, considerando a exportação –, além de uma grande quantia de biodiesel, biogás e outros combustíveis renováveis que podem começar a ser produzidos na próxima década. ”

SHARE